Miss Broadway

Little Miss Broadway

1938

Sinopse: Uma órfã é adotada pelos donos de uma hospedaria para artistas. A senhoria, que mora ao lado e detesta a algazarra, ameaça despejá-los e devolver a menina ao orfanato caso eles não paguem o aluguel atrasado. Mas o sobrinho da mulher aparece para salvá-los.

Em Miss Broadway, temos uma “veterana” Shirley Temple, aos 10 anos de idade. Já um pouco mais “madura”, ela nos oferece uma atuação mais articulada que em filmes anteriores, especialmente nos números musicais, mas sem perder a candura da infância.

O enredo não traz grandes novidades, repetindo a fórmula que a consagrou: uma órfã vive feliz com uma família adotiva meio fora dos padrões tradicionais, até que um antagonista carrancudo e conservador aparece para “resgatá-la” e lhe dar uma vida “decente”. No fim, com a ajuda dos amigos, Shirley consegue resolver a questão e voltar para o lar.

Dessa vez, Shirley é Betsy, que vive em um orfanato de meninas (e é a estrela da banda local!). Ela é adotada por Pop Shea e sua filha Barbara, que eram amigos de seus pais (dando a entender que eles são falecidos, embora isso não seja dito explicitamente) e dirigem um hotel recheado de gente do show business. Porém, a mal-humorada senhoria, Sarah Wendling, quer tirá-los de lá e separá-los da menina. Entra em cena o sobrinho da sra. Wendling, Roger, que logo faz amizade com Betsy e se interessa por Barbara. Ele então decide abrir um processo contra a tia para obter o controle do hotel e da sua própria herança, com o plano de montar um show estrelado pelos residentes. Tudo termina com um espetáculo encenado em pleno tribunal!

Shirley mantém a tradição de ser acompanhada por bons coadjuvantes, quando não grandes astros. Jane Darwell, que fez vários filmes com ela, é a dona do orfanato. Edna May Oliver (estranhamente creditada como Edna Mae Oliver) vive a sra. Wendling, em um dos seus típicos papéis de velha estraga-prazeres. Outro veterano, Donald Meek, é o tio Willoughby, o irmão simpático de Sarah. O legendário humorista Jimmy Durante faz Jimmy Clayton, líder da banda que reside no hotel. E o ator, dançarino e futuro senador George Murphy interpreta Roger. George faz uma boa dupla com Shirley e é responsável pelos melhores momentos do filme, cantando e dançando com ela.

George e Shirley

Mas o ponto alto é a música. Enveredando pelo swing, o ritmo mais popular do final dos anos 1930, Harold Spina e Walter Bullock compuseram algumas das melhores canções interpretadas por Shirley. Entre elas se destacam “Be Optimistic”, que abre o filme; “Swing Me an Old Fashioned Song” e “Little Miss Broadway”, que o encerram. Completam a trilha “How Can I Thank You?”, “We Should Be Together” e “If All the World Were Paper”.

Uma sétima canção, “Hop, Skip and Jump”, um dueto entre Shirley e Durante, foi cortada da versão final, mas pode ser vista no vídeo abaixo:


Assim como os outros filmes de Shirley em 1938, Miss Broadway não foi bem recebido pela crítica e não costuma figurar nas listas dos melhores trabalhos da pequena estrela, mas, se o assunto é elenco e música, merece e muito ser conferido!

Ficha técnica:
Diretor: Irving Cummings
Elenco: Shirley Temple, George Murphy, Jimmy Durante, Phyllis Brooks, Edna May Oliver, George Barbier, Edward Ellis, Jane Darwell, El Brendel, Donald Meek, Patricia Wilder, Claude Gillingwater, George Brasno, Olive Brasno, Charles Williams, Charles Coleman e Russell Hicks
Roteiro: Harry Tugend e Jack Yellen
Fotografia: Arthur C. Miller
Música: Harold Spina e Walter Bullock
Produtores: David Hempstead e Darryl F. Zanuck
Estúdio: 20th Century Fox
País: EUA
www.imdb.com/title/tt0030371

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s