Aconteceu naquela noite

It Happened One Night

1934

Sinopse: Contra a vontade do pai, uma jovem rica e mimada se casa com um playboy e foge para Nova York para ficar com ele. Durante a viagem, ela conhece um jornalista desempregado, que se oferece para ajudá-la em troca de um furo de reportagem.

Em 2006, eu estava assistindo a umas fitas VHS com gravações familiares que tinha em casa quando, no final de uma delas, descobri um bom trecho de Aconteceu naquela noite gravado casualmente de uma exibição na TV. Eu não era muito cinéfilo e nunca tinha visto um filme tão antigo. Mas a descoberta me fez viajar no tempo para aquela época, que eu só conhecia por histórias que a minha avó, adolescente nos anos 1930, contava quando eu era criança. Assim nasceu o meu interesse pelos clássicos do cinema, especialmente daquela década – portanto, é graças a esse filme que este blog existe.

Nada mais adequado, já que Aconteceu naquela noite é mesmo um filme pioneiro, que estabeleceu recordes, tendências e cenas clássicas imitadas inúmeras vezes depois.

Muitos o consideram a obra inaugural de um dos gêneros mais característicos dos anos 1930 e 1940: a screwball comedy, ou comédia maluca. Outros contestam esse título – e é verdade que alguns filmes anteriores já continham traços do gênero –, mas fato é que vários dos principais elementos estão lá: a temática de guerra dos sexos, as tiradas sarcásticas, as situações absurdas, o conflito entre classes sociais (com os ricos sendo objeto de sátira), o ritmo acelerado dos diálogos e da ação…

Além disso, foi o primeiro filme a ganhar o “Big Five”, as cinco principais categorias do Oscar: Melhor Filme (Columbia Pictures), Diretor (Frank Capra), Ator (Clark Gable), Atriz (Claudette Colbert) e Roteiro Adaptado (Robert Riskin). Somente outras duas produções alcançaram o mesmo feito: Um estranho no ninho (One Flew Over the Cuckoo’s Nest, 1975) e O silêncio dos inocentes (The Silence of the Lambs, 1991).

Clark Gable e Claudette Colbert

Clark Gable não foi a primeira opção para viver Peter Warne, o jornalista. Robert Montgomery já havia rejeitado o script. Reza a lenda que a poderosa MGM emprestou Gable à Columbia, então considerada um estúdio do segundo escalão de Hollywood, como punição por mau comportamento. Porém, o biógrafo Warren G. Harris rebate essa informação, dizendo que se tratou de um simples acordo comercial entre as duas companhias. A Columbia já costumava pegar atores emprestados de outras casas e pagou US$2.500 por semana à marca do leão, que não tinha nenhum projeto em vista para Clark e assim lucrou US$500 semanais sobre o salário dele, que era de US$2.000.

Mesmo assim, aponta Harris, ser mandado para um estúdio mais pobre não deixava de ser um castigo para o ator. Ele chegou bêbado no primeiro dia de trabalho e se desentendeu com Frank Capra, mas depois acabou se enturmando com o diretor e a equipe. Embora não estivesse habituado a atuar em comédias, seu papel não é muito diferente de um Gable típico: um machão cínico e beberrão, meio amoral, que, no entanto, demonstra alguma dignidade no fim. Segundo Capra, quiçá pela única vez, Clark interpretou a si mesmo.

Uma das cenas mais lembradas do filme dá a dimensão da popularidade de Gable. Ao tirar a roupa para dormir, ele revela que não está usando uma camiseta por baixo, artigo comum do vestiário masculino na época. Dizem que, depois disso, a venda de camisetas despencou nos Estados Unidos! Existem duas versões sobre a origem da cena: em uma, ela foi ensaiada com a camiseta, mas ficou muito lenta (ou o ator se atrapalhou ao tirá-la) e então resolveram filmar sem a peça. A outra versão diz que Clark simplesmente não usava a tal camiseta de baixo.

Há quem acredite que a vitória de Gable no Oscar foi arranjada pela Metro para promover a carreira do astro. Ele só teve dois oponentes, e a atuação de Charles Laughton em A família Barrett (The Barretts of Wimpole Street, 1934), uma das mais aclamadas do ano, não foi sequer indicada.

Gable e seu Oscar: marmelada?

O papel de Ellie Andrews, a dondoca, foi mais difícil de escalar. Miriam Hopkins, Myrna Loy, Margaret Sullavan e Loretta Young recusaram o convite (mais tarde, Loy comentou que o script mostrado a ela e Robert Montgomery era bem diferente da versão final). Constance Bennett aceitou desde que pudesse produzir o filme, mas a Columbia não topou. Bette Davis também se interessou, mas não foi liberada pela Warner. Por fim, a escolhida foi Claudette Colbert.

Mas Colbert não chegou muito feliz ao set. Estava com uma viagem de férias programada e não tinha boas recordações de Capra, que também dirigira seu desastroso primeiro filme, Filhos da fortuna (For the Love of Mike, 1927). Ela só aceitou o papel pelo dobro do salário que recebia na Paramount e com a condição de que sua participação fosse concluída em quatro semanas.

Assim se fez. O cronograma apertado contribuiu para o ritmo frenético da história e levou Capra a optar pelo uso de muitas locações em vez do estúdio. Mesmo assim, Claudette continuou insatisfeita e causando atritos durante as filmagens.

Sabem aquela piada, tão reproduzida até em desenhos animados, em que uma mulher consegue carona levantando a saia e exibindo as pernas? Ela surgiu em Aconteceu naquela noite, mas Claudette quase se recusou a fazê-la, por considerá-la vulgar. Porém, quando trouxeram uma dublê, a atriz rapidamente mudou de ideia, queixando-se: “Essa não é a minha perna!”

As reclamações de Colbert também geraram outra sequência famosa. Como ela não queria aparecer em trajes íntimos diante das câmeras, Capra inventou as “muralhas de Jericó”: uma toalha pendurada em uma corda que atravessava o quarto, entre as camas dos dois personagens.

Separados pelas muralhas de Jericó

Encerrado o trabalho, Colbert saiu dizendo a uma amiga que tinha acabado de fazer “o pior filme do mundo”. Na noite do Oscar, certa de que perderia, ela nem foi à cerimônia e embarcou para as sonhadas férias. Quando sua vitória foi anunciada, tiveram que ir buscá-la no trem, que por sorte ainda não havia partido, e levá-la em roupas de viagem para o Biltmore Hotel, onde o apresentador Irvin S. Cobb já entregava o Oscar Juvenil a Shirley Temple. Claudette recebeu sua estatueta das mãos da estrela mirim.

Claudette recebe a estatueta de Shirley Temple

As pernas de Claudette não foram a única influência do filme nos desenhos. O animador Friz Freleng escreveu, em suas memórias não publicadas, que Aconteceu naquela noite era um dos seus filmes preferidos, e alguns elementos podem tê-lo inspirado na criação do coelho Pernalonga (Bugs Bunny, no original), como a cena em que Peter come cenouras enquanto fala, um gângster fictício chamado Bugs Dooley que ele menciona para assustar Oscar Shapely e o fato de Shapely constantemente chamar Peter de “Doc” (vocativo muito usado por Pernalonga, que a dublagem brasileira consagrou como “velhinho”).

Shapely, aliás, é outro ponto alto do filme. Interpretado por Roscoe Karns, ele é divertidíssimo de tão chato, importunando Ellie com seu jeito falastrão e intrometido, até ser posto para correr por Peter.

Colbert e Roscoe Karns

O elenco também traz Walter Connolly como o pai de Ellie, no terceiro dos seus quatro filmes com Capra, e Ward Bond em um pequeno papel não creditado como um dos motoristas do ônibus. Foi o último trabalho da atriz Blanche Friderici, que morreu em dezembro de 1933.

Curiosamente, o sucesso do filme não foi imediato. A própria Columbia não tinha grandes expectativas e não investiu muito na campanha de divulgação. Apesar das críticas favoráveis, a audiência foi modesta no início. Somente após o lançamento em cidades menores o boca a boca se espalhou e a venda de entradas decolou, tornando o filme o maior êxito do estúdio até então e uma das maiores comédias que Hollywood já produziu.

Ficha técnica:
Diretor: Frank Capra
Elenco: Clark Gable, Claudette Colbert, Walter Connolly, Roscoe Karns, Jameson Thomas, Alan Hale, Arthur Hoyt, Blanche Friderici, Charles C. Wilson e Ward Bond
Roteiro: Robert Riskin (baseado no conto Night Bus, de Samuel Hopkins Adams)
Fotografia: Joseph Walker
Produtores: Frank Capra e Harry Cohn
Estúdio: Columbia Pictures
País: EUA
www.imdb.com/title/tt0025316

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s